Cinco Chagas do Senhor

EVANGELHO Jo 19, 28-37 
Naquele tempo, sabendo que tudo estava consumado e para que se cumprisse a Escritura, Jesus disse: «Tenho sede». Estava ali um vaso cheio de vinagre. Prenderam a uma vara uma esponja embebida em vinagre e levaram-Lha à boca. Quando Jesus tomou o vinagre, exclamou: «Tudo está consumado». E, inclinando a cabeça, expirou. Por ser a Preparação da Páscoa, e para que os corpos não ficassem na cruz durante o sábado – era um grande dia aquele sábado –  os judeus pediram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas e fossem retirados. Os soldados vieram e quebraram as pernas ao primeiro, depois ao outro que tinha sido crucificado com ele. Ao chegarem a Jesus, vendo-O já morto, não Lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados trespassou-Lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. Aquele que viu é que dá testemunho e o seu testemunho é verdadeiro. Ele sabe que diz a verdade, para que também vós acrediteis. Assim aconteceu para se cumprir a Escritura, que diz: «Nenhum osso lhe será quebrado». Diz ainda outra passagem da Escritura: «Hão-de olhar para Aquele que trespassaram».

 

 

asdasdasdã
Cinco Chagas do Senhor
EVANGELHO Jo 19, 28-37 
Naquele tempo, sabendo que tudo estava consumado e para que se cumprisse a Escritura, Jesus disse: «Tenho sede». Estava ali um vaso cheio de vinagre. Prenderam a uma vara uma esponja embebida em vinagre e levaram-Lha à boca. Quando Jesus tomou o vinagre, exclamou: «Tudo está consumado». E, inclinando a cabeça, expirou. Por ser a Preparação da Páscoa, e para que os corpos não ficassem na cruz durante o sábado – era um grande dia aquele sábado –  os judeus pediram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas e fossem retirados. Os soldados vieram e quebraram as pernas ao primeiro, depois ao outro que tinha sido crucificado com ele. Ao chegarem a Jesus, vendo-O já morto, não Lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados trespassou-Lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água. Aquele que viu é que dá testemunho e o seu testemunho é verdadeiro. Ele sabe que diz a verdade, para que também vós acrediteis. Assim aconteceu para se cumprir a Escritura, que diz: «Nenhum osso lhe será quebrado». Diz ainda outra passagem da Escritura: «Hão-de olhar para Aquele que trespassaram».
 
Compreender a Palavra
Celebramos hoje a Festa das Cinco Chagas do Senhor. O que queremos celebrar é o Mistério da Paixão. Cristo salva-nos dando a vida na cruz que é “loucura para os que se perdem mas, para os que se salvam, para nós, é força de Deus” (1Cor 1,18). Estamos, portanto, a celebrar a nossa salvação. As marcas dos cravos e da lança são para nós motivo de louvor.
O evangelho é retirado da narração da paixão descrita por João. Os pormenores pretendem mostrar que Jesus, no mistério da sua morte, cumpre tudo o que estava dito pelos profetas. Jesus leva à total realização as promessas de salvação anunciadas por Deus através dos profetas.
 
Meditar a Palavra
Do lado aberto de Jesus saiu sangue e água. Esta afirmação de João no seu evangelho apresenta Cristo como a fonte de água viva. De facto a minha vida está toda empenhada no mistério da água saída do lado de Jesus. Do mistério da sua paixão nasce a água com que fui purificado, lavado e transformado na minha natureza carnal para participar da natureza divina. No mistério da morte de Cristo encontra sentido o meu batismo, princípio de vida nova e eterna, que me faz herdeiro do reino inaugurado na sua ressurreição. O meu coração fica apreensivo diante de tanto amor e a minha alma deseja contemplar este mistério no silêncio sagrado do meu santuário interior.
 
Rezar a Palavra
Guarda-me no Teu lado Senhor e banha-me na Tua água purificadora. Branqueia a minha veste no teu sangue e deixa-me participar no teu banquete eterno. Reconhece em mim, aquele por quem derramaste o teu sangue e não tenhas em conta o meu pecado, nem fixes os teus olhos sobre a minha culpa. Que a tua misericórdia seja a minha protecção e o teu amor o meu advogado.
 
Compromisso
O meu coração guarda silêncio diante das Chagas de Cristo.

Compreender a Palavra
Celebramos hoje a Festa das Cinco Chagas do Senhor. O que queremos celebrar é o Mistério da Paixão. Cristo salva-nos dando a vida na cruz que é “loucura para os que se perdem mas, para os que se salvam, para nós, é força de Deus” (1Cor 1,18). Estamos, portanto, a celebrar a nossa salvação. As marcas dos cravos e da lança são para nós motivo de louvor.
O evangelho é retirado da narração da paixão descrita por João. Os pormenores pretendem mostrar que Jesus, no mistério da sua morte, cumpre tudo o que estava dito pelos profetas. Jesus leva à total realização as promessas de salvação anunciadas por Deus através dos profetas.
 
Meditar a Palavra
Do lado aberto de Jesus saiu sangue e água. Esta afirmação de João no seu evangelho apresenta Cristo como a fonte de água viva. De facto a minha vida está toda empenhada no mistério da água saída do lado de Jesus. Do mistério da sua paixão nasce a água com que fui purificado, lavado e transformado na minha natureza carnal para participar da natureza divina. No mistério da morte de Cristo encontra sentido o meu batismo, princípio de vida nova e eterna, que me faz herdeiro do reino inaugurado na sua ressurreição. O meu coração fica apreensivo diante de tanto amor e a minha alma deseja contemplar este mistério no silêncio sagrado do meu santuário interior.
 
Rezar a Palavra
Guarda-me no Teu lado Senhor e banha-me na Tua água purificadora. Branqueia a minha veste no teu sangue e deixa-me participar no teu banquete eterno. Reconhece em mim, aquele por quem derramaste o teu sangue e não tenhas em conta o meu pecado, nem fixes os teus olhos sobre a minha culpa. Que a tua misericórdia seja a minha protecção e o teu amor o meu advogado.
 
Compromisso
O meu coração guarda silêncio diante das Chagas de Cristo.

 

 

© Copyright A Liturgia. Todos os direitos reservados